Arquivo para novembro \24\UTC 2008

Pas plus de tum-tum-tá

football

Semana passada fui visitar o calvário do futebol brasileiro aqui em Paris. Para os que não se lembram, o Stade de France foi onde o Ronaldo, que na época ainda era nomeado no diminutivo, teve um chilique e ficou fora da final da Copa do Mundo de 1998. E, claro, foi onde o Brasil levou um chocolate da França e acabou ficando sem o caneco daquele ano.

Más lembranças à parte, escrevo para fazer uma denúncia, já que o França e Uruguai que eu fui assistir foi tão ruim quanto um jogo-de-fim-de-ano-de-firma. Os franceses abandonaram, simplesmente, o tum-tum-tá do Queen. O tão bem lapidado refrão de We Will Rock You, universalmente conhecido e utilizado em qualquer torcida, virou démodé.

Digo isso pois os azuizinhos preferem, agora, a batucada de Seven Nation Army, do Withe Stripes. Tudo bem, a música é legal e eu também gosto. Mas a banda é muito jovem pra conduzir um estádio inteiro, 80 mil pessoas, à um ritmo que tocamos inconscientemente pra apoiar um time em campo. Pois isso não é qualquer coisa: é como pegar qualquer refrão por aí e colocá-lo no mesmo altar que o nosso olê, olê, olá.

Me perdoem pelo quasi-protesto, mas precisava desabafar. Acho que foi efeito do jogo ruim. Fiquem com o clipe e a música, que são bem melhores.

Anúncios

Bigode poético

Desde que por aqui cheguei vejo que em muitos rostos estampados nos cartazes publicitários espalhados pelo metro existe um bigodezinho. É, um bigode, cheio e com pontinhas enroladas. Com a mesma vontade sacana de alguém que desenha um bigode num retrato (não que o Marcel Duchamp tenha sido), alguém anda por aqui colando os tais bigodes, pois são adesivos.31554335

E quando chegamos perto, vemos que nele está escrito moustache poétique (bigode poético).

Moustache Poétique

Depois de muito ver e até fotografar, resolvi usar minha habilidade para coisas inúteis e encontrei a fonte da coisa. Há um grupo de stand-up comedy aqui em Paris chamado Le Grandiloquent Moustache Poésie Club (O Grandiloquente Bigode Poesia Clube): 3 caras que fazem o humor de boteco com um fundo poético, todos dotados de um bigodinho, mas de verdade.

Picasso e a marca do bigode arrancado
Picasso e a marca do bigode arrancado

E a boa idéia foi espalhar de forma contínua, discreta e misteriosa os bigodinhos poéticos adesiváveis pelos infinitos cartazes publicitários — a maioria de cinema e teatro, por isso com muitos retratos. Para os que vem passar as férias aqui, fica a dica de prestar atenção nos cartazes e colecionar fotografias de bigodinhos.

avant

apres

mp3

Alugar um apartamento em Paris

A melhor maneira que eu encontrei de mostrar à vocês o quanto é difícil e complicado alugar um apartamento em Paris foi através deste vídeo. Como sei que nem todos têm a chance de poder se enroscar nos verbetes franceses, traduzi, mal e porcamente, esta pequena esquete que mostra muito bem o nível das coisas pra quem se arrisca a alugar algo pra morar por aqui. É claro que comigo foi bem diferente: tive a sorte imensa de não ter que passar por tudo isso. Mas conheço gente que passou, e foi até pior…

Mathieu e Coralie Legrand estão à procura de um apartamento em Paris, há 18 meses. Uma procura difícil, já que os proprietários são exigentes. Mas desta vez o negócio parece ser bom, bem encaminhado, eles gostaram do apartamento e a renda mensal do casal é compatível com o aluguel. Hoje eles têm uma reunião com o proprietário, o senhor Bruns, para examinar o dossiê deles.

— Bonjour!

—Bonjour. Bonjour.

— Entrem.

— Obrigado.

— De nada. Sentem-se. Tem duas cadeiras que estão à vossa espera.

35m² por €1.500,00, sem incluir os gastos mensais. É um achado!

Mathieu é controlador de gestão e ganha €4.300,00 por mês, Coralie é secretária de um consultório médico e ganha €1.300,00. A renda mensal do casal corresponde à 4 vezes o valor do aluguel. É bom, mas não é suficiente. Mas além disso os pais de Mathieu pagaram um valor de caução para o aluguel do apartamento. É bom, mas não é suficiente. Mas Mathieu e Coralie pensaram em tudo: os pais de Coralie também deram um caução, da mesma forma que seus avós e a bisavó de Mathieu. É bom, mas não é suficiente.

Senhor Bruns quer se assegurar da boa saúde dos seus futuros locatários a fim de não ficar com o aluguel atrasado. Coralie e Mathieu Legrand forneceram um dossiê médico completo ao senhor Bruns: as taxas de colesterol estã baixas, a de triglicérides também, os eletrocardiogramas estão perfeitos, as urinas estão claras… O senhor Bruns está convencido, mas não é suficiente. Ele deve, agora, proceder um exame contra o câncer de mama em Coralie e um exame contra o câncer de próstata em Mathieu. É bom, mas não é suficiente.

Preocupado com o conforto da sua vizinhança, o senhor Bruns quer agora estar seguro da tranquilidade dos seus futuros locatários: ele deve feviricar se Coralie não faz muito barulho quando ela trepa. É bom, mas não é suficiente.

A decepção é grande para o jovem casal.

— Não temos apartamento…

[Aqui a garota diz algo em relação ao clitoris dela, mas não consegui entender]

Proprietários cada vez mais exigentes, locatários cada vez menos viáveis. A situação do mercado imobiliário de Paris não melhorará tão cedo.